Saúde

Diretor-geral do HR define interdição ética do Coren-PE como “irresponsável e unilateral”

Miguel Arcanjo garantiu, em coletiva de imprensa, que os serviços no hospital seguem normalizados.

Diretor geral do Hospital da Restauração, Miguel Arcanjo 

Após o Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE) determinar, nesta quarta-feira (6), a interdição ética dos serviços de enfermagem das alas vermelha e laranja 1 e 2 do Hospital da Restauração (HR), o diretor-geral do HR, Miguel Arcanjo, garantiu, em coletiva de imprensa, que os serviços seguem normalizados e que receberam com surpresa e indignação a notificação. Ele classificou a medida como “irresponsável e unilateral” e afirmou que o HR entrou com uma ação judicial para impedir a interdição

De acordo com o médico, em comparação ao mês de maio, o hospital tem de 35% a 40% pacientes a menos nas alas vermelha e laranja. Atualmente, 50 pacientes estão internados na ala vermelha e 62 na laranja 1 e 2. 

“Recebemos com surpresa e indignação a maneira pela qual ela [a intervenção] foi feita. Quando houve aquele rompimento do cano, no dia 6 de maio, nós recebemos a notificação do Coren, assim como recebemos do Conselho Regional de Medicina, e do Sindicato dos Médicos, e nós respondemos a todos. A do Conselho Regional de Enfermagem, especificamente, todos os problemas que nós tínhamos mais graves foram solucionados e todas as respostas foram dadas. No dia 10 de junho isso foi protocolado para o Coren e a partir daí nós não recebemos mais nenhuma notificação”, afirmou Miguel Arcanjo.

Segundo o médico, a enfermagem tem um papel fundamental na assistência ao paciente. Além disso, um diálogo entre a equipe de enfermeiros e o HR foi firmado e os serviços continuam normalizados. 

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) afirmou que a ação de interdição “não seguiu os ritos e os trâmites necessários e só coloca em risco a assistência à população pernambucana”. E que “ A SES-PE já está tomando todas as medidas necessárias para  reverter o processo instaurado pelo Coren-PE”.

Problemas estruturais 

Em relação aos problemas existentes no HR, Miguel Arcanjo destacou que os principais foram sanados e que o prédio está “em plena condição de trabalho”

“Os problemas principais foram sanados, e estamos com duas licitações estruturais  grandes, uma de R$7 milhões, e outra em torno de R$2 milhões e meio, além de licitação de equipamentos, que estão correndo em paralelo. Mas o hospital funciona a pleno vapor, principalmente nas alas vermelha e laranja. Quando terminar a licitação, haverá uma obra completa do prédio”, acrescentou. 

De acordo com a SES-PE, a secretaria tem atuado para modernizar a estrutura e qualificar a assistência no Hospital da Restauração.

“No último mês, foi lançada a licitação para a primeira etapa das obras, que inclui a recuperação de toda fachada e também da coberta, reforçando, assim, a estrutura do hospital contra processos de infiltração. Já nos próximos dias, será lançado o edital para a segunda etapa das obras. Ao todo, serão investidos R$ 24 milhões na unidade, que vai passar ainda por serviços de revisão e recuperação de toda a infraestrutura, além de renovação do parque tecnológico”, afirmou a nota.
 
Confira a nota da SES-PE na íntegra: 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informa que a direção do Hospital da Restauração (HR) foi surpreendida, na manhã desta quarta-feira (06/07), pelo anúncio intempestivo de interdição ética de importantes setores assistenciais da emergência da unidade pelo Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE).  A ação não seguiu os ritos e os trâmites necessários e só coloca em risco a assistência à população pernambucana.

Importante destacar que a Secretaria Estadual de Saúde tem atuado para modernizar a estrutura e qualificar a assistência no Hospital da Restauração. No último mês, foi lançada a licitação para a primeira etapa das obras, que inclui a recuperação de toda fachada e também da coberta, reforçando, assim, a estrutura do hospital contra processos de infiltração. Já nos próximos dias, será lançado o edital para a segunda etapa das obras. Ao todo, serão investidos R$ 24 milhões na unidade, que vai passar ainda por serviços de revisão e recuperação de toda a infraestrutura, além de renovação do parque tecnológico.

A SES-PE também tem trabalhado permanentemente para ampliar a rede de retaguarda do Hospital da Restauração. Diariamente, a Central Estadual de Regulação de Leitos tem conseguido reduzir em 30% o envio de pacientes ao HR, desafogando o serviço e encaminhando pacientes para outras unidades referenciadas. Para ter uma ideia, somente em junho, quase 600 pacientes foram transferidos do HR para o Hospital de Retaguarda em Neurologia (HRN) e outras unidades da rede.  Além disso, o antigo Hospital Alfa, que estava atuando como referência para a Covid-19, já está funcionando com um novo perfil assistencial, recebendo pacientes encaminhados pelo Hospital da Restauração.

Por fim, a Secretaria Estadual de Saúde reforça que o Hospital da Restauração, unidade que cumpre papel fundamental na rede de saúde pública de Pernambuco, continuará prestando seus relevantes serviços à população, Além disso, a SES-PE já está tomando todas as medidas necessárias para  reverter o processo instaurado pelo Coren-PE.

Charles Maia

Site de noticia dinâmico e social. Trabalhos do dia a dia de nossa sociedade. Contando histórias de sucesso de povo sertanejos e trajetórias de orgulho de homens e mulheres que tanto contribuíram para o nosso crescimento e conhecimento.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo