HistoriaPernambuco

RECIFE 485 ANOS: A primeira capital do Brasil e pioneira em muitas coisas

Em mais um aniversário das cidades irmãs, Recife e Olinda ganham um especial com histórias e curiosidades contadas com muito orgulho e bairrismo.

Talvez você já saiba que o Recife é a capital mais antiga do Brasil e cheia de encantos mil. Mas a cidade aniversariante deste sábado, dia 12 de março, ainda tem outros milhares de encantos e histórias a serem descobertas.

Para homenagear os 485 anos do Recife e 487 anos de Olinda, o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação preparou o especial “Recife e Olinda, as Cidades Irmãs” contando histórias ainda não tão conhecidas sobre as cidades.

Com certeza você já ouviu expressões megalomaníacas ditas por qualquer bom recifense bairrista. E essa mania de grandeza de quem mora na capital não surgiu do nada nem sem motivos para tal, além de ser a primeira capital do Brasil, o Recife foi pioneiro em muitas outras coisas.

O período holandês da capital (1631-1654) foi uma época de florescimento nas artes, na ciência, no urbanismo… sobretudo durante o governo de Maurício de Nassau. E são dessa fase muitos dos marcos de pioneirismo do Recife. 

Sinagoga Kahal Zur Israel

Recife abriga a primeira sinagoga (templo judeu) das Américas. A sinagoga Kahal Zur Israel funcionou em Pernambuco durante o período da dominação holandesa, na Rua do Bom Jesus, que na época era  conhecida como Rua dos Judeus.

O espaço, que foi recuperado depois de estudos de documentos holandeses e, posteriormente, escavações, hoje é o Arquivo Histórico Judaico de Pernambuco e é um museu aberto ao público, com escavações arqueológicas em exposição.

Um destaque na sinagora é o mikvê – poço e piscina para rituais de purificação – além das ruínas das barreiras de contenção do avanço do mar que existiam no Bairro do Recife.

Jailton Junior/JC Imagem
Sinagoga Kahal Zur Israel – Jailton Junior/JC Imagem

O primeiro Observatório Astronômico das Américas

A mania de viver no mundo da lua talvez tenha surgido à beira do Rio Capibaribe. Durante o período em que os holandeses ocuparam o Recife, o Conde João Maurício de Nassau trouxe uma comitiva com muitos estudiosos das mais diversas áreas para estudar a capitania.

No telhado de sua residência, o cientista George Marcgrave construiu o primeiro observatório das Américas. Algo muito além de pioneiro, mas também caro e que foi o pontapé inicial para os mais diversos estudos do céu a partir do Brasil.

Aquarela de Zacharias Wagener
Observatório de George Marcgrave – Aquarela de Zacharias Wagener

Primeira cervejaria das Américas

Claro que a cerveja não poderia ficar de fora. Cantada pelo músico Chico Science séculos depois dos tempos de Nassau, e amada desde sempre não só pelos recifenses, mas por todo o Brasil. O bairro das Graças foi o berço do lúpulo e demais ingredientes que levam a cerveja.

Também trazido por Maurício de Nassau, o mestre cervejeiro holandês Dirck Dicx montou a primeira fábrica de cerveja das Américas. A “La Fontaine” foi montada em outubro de 1640, na segunda casa do Conde, no bairro da Graças, Zona Norte do Recife.

A produção e a distribuição da bebida durou pouco tempo porque com a expulsão dos holandeses, a produção de vinho e cachaça foi intensificada pela coroa portuguesa.

As cidades irmãs

Sistema Jornal do Commercio de Comunicação apresenta, a partir do dia do aniversário das duas cidades,  o projeto “Recife e Olinda: Cidades Irmãs”, uma série de vídeos para redes sociais que será publicada nos perfis da TV Jornal no YoutubeFacebook e Instagram (@tvjornalsbt).

Pernambucana que só ela, A Turquesa Alimentos apoia a série “Recife e Olinda, as Cidades Irmãs”. Desde 1994 fazendo parte da família nordestina para entregar qualidade e praticidade para o consumidor com 28 itens diferentes que fazem parte da alimentação dos pernambucanos. A marca está presente em Pernambuco e em mais seis estados do Nordeste: Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Ceará e Maranhão.

NortelData é outro apoiador cultural do projeto. A empresa sediada no bairro de Casa Amarela, Zona Norte do Recife, é tipicamente recifense e bairrista. Daqui promove soluções integradas nas áreas de: Tecnologia da informação e comunicação; Segurança da informação; Sistemas de gerenciamento predial e Gestão automatizada de processos e de ativos. Soluções criadas em solo recifense para todo o País.

Fonte: TV Jornal

Pesquisa: Charles Maia

Charles Maia

Site de noticia dinâmico e social. Trabalhos do dia a dia de nossa sociedade. Contando histórias de sucesso de povo sertanejos e trajetórias de orgulho de homens e mulheres que tanto contribuíram para o nosso crescimento e conhecimento.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo